Discos Escondidos #063: Luiz Melodia – Pérola Negra (1973)

Discos Escondidos #063: Luiz Melodia - Pérola Negra (1973)
by

Luiz Carlos dos Santos, mais conhecido como Luiz Melodia, foi um cantor, compositor e ator brasileiro nascido em 7 de janeiro de 1951 na cidade do Rio de Janeiro e que faleceu nessa mesma cidade na última sexta-feira, dia 4 de agosto de 2017.

Começando na música ainda criança, emprestando de seu pai uma viola de 4 cordas, Luiz formou na adolescência o grupo Os Instantâneos e começou a tocar pelas noites cariocas. Assíduo frequentador do morro do Estácio, lá conheceu Wally Salomão, poeta que lhe apresentou à cantora Gal Costa que, pouco tempo depois, em seu LP ao vivo -Fa-Tal- Gal a Todo Vapor, gravou a canção Pérola Negra. Em seguida, a cantora Maria Bethânia gravou a canção Estácio, Holly Estácio, aumentando ainda mais os holofotes sobre Luiz, que logo decidiu adotar o sobrenome artístico de seu pai e se tornou definitivamente Luiz Melodia.

Discos Escondidos #062: Arthur Verocai – Arthur Verocai (1972)

No ano seguinte, Luiz Melodia estreia com um dos melhores discos da história da MPB – e difinitivamente entre os melhores debutes da nossa música: Pérola Negra. Impressionando já nas primeiras faixas com sua versatilidade ao sintonizar influências que vão do samba ao blues e do R&B ao ‘roquenrou’, o álbum de 1973 já nasceu destinado a ser um clássico.

Arranjado por Pedrinho Albuquerque e Arthur Verocai, além de contar com participações de Dominguinhos no accordeon e Hyldon nas guitarras, Pérola Negra figura na 32ª posição na lista da Revista Rolling Stone Brasil de os 100 Maiores Discos da Música Brasileira.

Discos Escondidos #015: Hyldon – Na Rua, Na Chuva, Na Fazenda (1975)

Do álbum, destaco as faixas: Estácio, Eu e VocêVale Quanto PesaEstácio, Holly EstácioPrá AquietarPérola NegraMagrelinhaFarrapo Humano Objeto H.

Sem mais delongas, para celebrar a obra desse grande compositor que infelizmente nos deixou, Luiz Melodia e seu Pérola Negra:

Share Button

Cineasta, escritor e compositor, vive procurando novos discos pra ouvir e é fanático pela música dos anos 60 e 70. Escreve sobre Discos Escondidos nem tão escondidos assim e seu EP "4 Baladas Vermelhas" foi lançado em Dezembro de 2014 aqui no Jardim Elétrico.