Emicida retrata motim de empregadas em novo clipe

Empregadas domésticas de uma mansão se revoltam com as injustiças dos patrões e geram um motim que se alastra por todo o país. Essa é a história narrada no clipe de “Boa Esperança” do rapper Emicida. A canção está incluída no álbum – ainda se título – que está sendo preparado com o patrocínio do edital Natura Musical.

Na direção assumem João Wainer e Katia Lund, co-diretora do filme “Cidade de Deus”. A pegada de crítica social e política presente nas letras do rapper agora ganha vida e é representada por ele, como vigia da mansão, e pela sua mãe, Dona Jacira, os filhos do Mano Brown, Domenica e Jorge Dias, a modelo Michelli Provensi e as moradoras da Ocupação Mauá, no centro de São Paulo, Divina Cunha e Raquel Guimarães Dutra interpretando os empregados.

O clipe promete tirar a sujeira debaixo do tapete e trazer à tona injustiças cometidas no dia a dia, mas que ninguém trata como tal. A gravação, feita pelo Laboratório Fantasma em parceria com a bigBonsai, vai ser divulgada em Junho e o novo disco é lançado entre Julho e Agosto.

Share Button

Jornalista com uma habilidade fora do normal de não ser séria. Criada em meio às cachaças e ao samba, a MPB se tornou o seu xodó. Para ela, a música popular tem o seu prestígio, e preconceito é sinal de ignorância. Bem humorada e flexível em debates, mas é melhor usar um forte argumento para convencê-la, senão ela o fará com você. E respira fundo. Porque fala pelos cotovelos.