“TERRA DO SAL”: PROFISSÃO DE URUBU HOMENAGEIA NORDESTINOS EM CANÇÃO INÉDITA

"TERRA DO SAL": PROFISSÃO DE URUBU HOMENAGEIA NORDESTINOS EM CANÇÃO INÉDITA

Com melodias leves, intimistas e letras bem elaboradas e poéticas, “Profissão de Urubu”, banda que teve seu álbum homônimo de estreia em 2015, traz em 2016 um single em homenagem aos nordestinos.

O single intitulado de “Terra do Sal”, traz referências na sua sonoridade, sobre hábitos e cultura, sendo um tanto saudosista na composição e melodia.

“Terra do Sal” faz referência à cidade de Mossoró – mais conhecida como terra do sal, município do Rio Grande do Norte a 281 Km da capital, que é chamada assim devido a sua economia voltada também para a produção de sal e onde o vocalista e compositor da canção, Bruno Jefter, nasceu e morou até os 7 anos de idade, antes de se mudar para Brasília.

O single começa com uma intro de sanfona e violão, numa sonoridade bem nostálgica e peculiarmente nordestina, lembrando Dominguinhos, que se estende por toda a música.

A letra começa com “Tem muita coisa bonita na terra do sal, ah sim, tem”. Não só na Terra do Sal tem muita coisa bonita, como no Nordeste inteiro.

No desenvolver da canção é citada essas tais “coisas bonitas”, como hábitos, cultura do seu povo e gastronomia local.

Na passagem “Vá pra calçada se fizer muito calor”, Bruno fala sobre o cotidiano das pessoas de cidade do interior, onde a “resenha” (conversa) corre solta até tarde da noite, nas calçadas entre os vizinhos da rua.

A composição também conta com referências gastronômicas nordestinas como canjica (prato feito a partir do milho), cajarana (fruta utilizada na preparação de sucos), feijão verde e Cajuína (bebida sem álcool preparada a partir do suco de caju).

O Nordeste tem um clima predominantemente quente, mas Mossoró é conhecida por ser uma das cidades mais quentes do seu Estado e esse clima escaldante é citado em “Vamo simbora no pingo do meio dia, deixe dessa agonia não se avexe por favor”, além do clima, na música o dialeto nordestino é bastante usado também como referência.

O saudosismo fica bastante evidente nas passagens “Um dia desses eu passo de novo por lá” e “Foi ali que eu nasci, que eu cresci, não esqueço jamais, ah meu Deus”, sendo esse saudosismo intensificado no clamor de Deus, bastante usado pelos nordestinos.

Segundo o compositor da letra, Bruno Jefter, a canção é uma homenagem à sua família, à Mossoró e aos nordestinos em geral.

Em suma, “Terra do Sal” não só é uma bela canção nostálgica somente para quem deixou esta terra maravilhosa – o Nordeste, mas também para quem ainda reside e observa e usufrui de toda uma cultura que é bastante rica, sendo descrita em cada frase dessa bela canção, somado a um afago na melodia.

Confira a música na íntegra:

 

 

 

 

 

 

 

Share Button

Gastrônomo e estudante de Arquitetura e Urbanismo, amante dos bares e da música.

Comments

  1. boa tarde. o link para download está indisponível. podem repostar?