TIM MAIA – TIM MAIA 1971

TIM MAIA - TIM MAIA 1971

Este segundo LP de Tim mostra um compositor maduro e seguro em comparação ao primeiro disco. Com mais desenvoltura e com um time nota 10 ( Pinduca no vibrafone e Chacal na percussão, esse disco já nasce com nomes de peso).

O disco já inicia com “A Festa de Santo Reis”, uma das composições mais brilhantes de Tim com parceria de Marcos Leonardo. Depois vem um dos maiores sucessos de Tim, “Não quero dinheiro”, música que dispensa apresentações.

A reflexiva “Um dia Chego Lá” mostra um lado mais filosófico de Tim, onde com suing ele já contava as angústias da meritocracia, onde o trabalhador só rala e nada de ficar com a vida mais tranquila. Quem leu a biografia de Tim Maia escrita por Sérgio Motta vai saber. Se não leu, leia.

Em não vou ficar, Tim mostra toda sua influência da música negra americana. Curiosamente, Roberto Carlos regravou essa música em seu LP de 1969 (anterior a esse do Tim) e que fez a música estourar Seis semanas seguidas como líder e mais pedida da Rádio Brasil. Tim ainda deu uma variada no tempo da música, deixando mais cadenciada do que dançante. Resultado, deixou perfeito o que já era fantástico.

“Você” abre um lamento de Tim.  Foi a primeira canção que Tim virou referência em canto chorado. O sentimento na música arrepia a qualquer momento de se escutar. Quem nunca cantou junto “Sou feliz agora, não, não vá embora não” ?

Este disco é feito para se escutar da primeira a última música sem pular um som sequer. Destaque para as três músicas em inglês do disco, todas de composição de Tim Maia. Broken Heart,  I Don’t Know What to Do with Myself e I Don´t Care. Discão…

backer choc

Para acompanhar, tem que ser algo que remete ao Tim, claro. Alguém se lembra dele cantando “Chocolate”, gravado no disco anterior? Pois bem Tim, então pra ti, uma Backer Brown, de Chocolate.

A cervejaria Backer é de Belo horizonte, uma das primeiras microcervejarias do estado. Feita de maneira artesanal,  essa cerveja consegue mesclar com uma harmonia fantástica o saber do café (bem forte na cerveja) com um gosto suave do chocolate (após engolir sente-se o chocolate). A American brown Ale é um estilo baseado nas English brown Ale que podem apresentar adição de algum aditivo tecnológico, nesse caso o aroma de chocolate, bem equilibrado. O único detalhe é que essa cerveja só tem em garrafa de 355ml. Mas vale a bebedeira.

Divirta-se

Share Button

Pedro Cindio - Jornalista narigudo, músico frustrado e apaixonado por música, tenho um toc de só escutar discos completos. Cervejetariano e feio, mas meu humor salva a aparência.